Veja a gravação da Palestra do Prof. Ronaldo Mota

Professor Ronaldo Mota ministra palestra sobre "INOVAÇÃO E APRENDIZAGEM INDEPENDENTE NO CONTEXTO DAS TECNOLOGIAS DIGITAIS"






A Pró-reitoria de Pesquisa da UFABC realiza nesta quinta às 15h00 palestra com o Professor RONALDO MOTA. O Professor é especialista em Gestão da Inovação e Tecnologias Educacionais Inovadoras. Ele já foi Secretário Executivo do Conselho Nacional de Educação, Secretário Nacional de Educação Superior, Secretário Nacional de Educação a Distância e Ministro Interino do Ministério da Educação, e condecorado pelo Presidente da República como Comendador Grã-Cruz da Ordem Nacional do Mérito Científico.

A palestra será aberta para toda a comunidade universitária e vai ocorrer no Anfiteatro 112 – Bloco A do Campus Santo André da UFABC. O portal da UAB fará a transmissão AO VIVO a partir das 15h00 que poderá ser acessada  neste link.

MEC propõe uma Universidade Federal EAD e novas regras

O Ministro da Educação, Aloizio Mercadante, afirmou durante solenidade de balanço das inscrições no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) que o Governo Federal encaminhará no segundo semestre do ano, em agosto, projeto ao Congresso para criação da primeira universidade federal a distância do país.
 
A nova universidade englobaria o projeto da Universidade Aberta do Brasil (UAB), que é um consórcio de cursos a distância ministrados nas universidades e centros de formação tecnológica da rede federal de ensino, porém focado na formação de professores e em atender demandas específicas. Na nova configuração, haverá a possibilidade de criação de novos cursos que não tenham a formação de professores como foco, tais como os de Direito e de algumas engenharias, a exemplo das que já existem em alguns países europeus como Inglaterra, Espanha e Portugal.

Para a coordenadora da UAB-UFABC, Profa Lucia Franco a novidade é positiva. Segundo ela "a Universidade Federal de Educação a Distância não era uma novidade esperada, mas se vai permitir a oferta de cursos além dos cursos de formação de professores, será muito produtiva. Há uma demanda grande para outros cursos e há muitas IES à espera de financiamento para eles
" afirma.

Além dessa novidade, em abril, o Ministério da Educação criou a Câmara Consultiva Temática para Educação a Distância, que funciona submissa ao Conselho Consultivo do Programa de Aperfeiçoamento dos Processos de Regulação e Supervisão da Educação Superior (CC-PARES). A Câmara já se reuniu duas vezes, em maio, e prepara para entregar este mês ao MEC um relatório com sugestões de alterações no marco legal. Entre os temas discutidos, estão a regulação dos polos de apoio presencial, que pode ser flexibilizada, os referenciais de qualidade da educação a distância, a exigência de bibliografia física (que pode ser alterada para incluir a possibilidade de bibliografia virtual).
 
Outras novidades deverão surgir de uma comissão criada em abril (portaria 161, publicada em 17 de abril) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) para discutir os instrumentos de avaliação de instituições e de pólos da educação superior, inclusive os de cursos a distância.

Aplicativo em desenvolvimento ajuda a otimizar correção de provas

Não basta planejar aulas ou fazer relatórios. É preciso – a cada fim de bimestre ou semestre – corrigir as dezenas de provas de seus alunos. Quantos professores já não sonharam, como em um passe de mágica, terem suas avaliações corrigidas? Essa é a solução que a startup Pod (Plataforma Otimizadora de Correção de Provas) entrega aos professores. Criada há um ano por jovens engenheiros da Poli/USP, ela já vem sendo usada como projeto piloto em quatro instituições – de ensino médio e superior – em São Paulo.

A plataforma ajuda a otimizar o trabalho dos docentes ao corrigir automaticamente provas objetivas e facilitar a correção de avaliações discursivas, além de criar relatórios e gráficos que podem contribuir para estratégias pedagógicas das instituições. Ainda em fase embrionária, a ideia é que, em um futuro breve, a startup consiga realizar procedimentos de avaliação mais complexos, como corrigir uma prova de filosofia por meio de sistemas de inteligência artificial, que permitirá, além de ler o contexto de um texto digitalizado, ser capaz, inclusive, de avaliá-los virtualmente. Já imaginou?


“A maioria das provas não é feita para os alunos, mas para os professores, que criam testes de múltipla escolha por conta da falta de tempo para corrigi-los. Muitos deles adorariam fazer avaliações dissertativas, para identificar realmente o aprendizado do aluno”, afirma o engenheiro Miguel Chaves, cofundador da Pod, que é também uma das oito selecionadas dentre mais de 70 inscritos para fazer um pitch e apresentar seus negócios durante a sessão Debate entre Empreendedores, Investidores e Especialistas no Transformar 2013 (veja a lista das vencedoras). O evento, realizado pelo Inspirare e Porvir, em parceria com a Fundação Lemann, aconteceu no dia 4 de abril em São Paulo, e pretende oferecer novas referências e apoiar a sociedade brasileira a continuar avançando no esforço de trazer a educação do país para o século 21.

Na prática, assim que os professores aplicam suas provas, um representante da startup é avisado. Ao chegar na instituição, por meio de um escâner, ele digitaliza as provas – cerca de 30 a 40 folhas por minuto – , abrigando-as, em seguida, na plataforma. Lá, as avaliações objetivas são corrigidas automaticamente – em até 24 horas –, enquanto as discursivas ficam à disposição dos docentes, que podem corrigi-las a partir de qualquer dispositivo conectado à internet.


Além disso, quando as provas são multidisciplinares, os professores de cada disciplina ou de uma questão específica são comunicados, podendo corrigi-las simultaneamente. “Essa solução contribui principalmente para automatizar trabalhos repetitivos, ajudando os professores a reverter o tempo que é gasto corrigindo provas em outras atividades, como no acompanhamento mais próximo de seus alunos”, afirma. Atualmente, o serviço, que é pago, vem sendo realizado por meio de contratos semestrais com as instituições.

Outro diferencial da plataforma é a geração de relatórios, que podem, inclusive, ser enviados diretamente à escola ou aos pais dos alunos. A partir dos resultados das provas, por exemplo, é possível comparar a evolução de cada aluno ou das turmas nos diferentes bimestres do ano letivo. Em outro caso, as escolas podem também equiparar as notas dos estudantes com a média do Enem.

“Daqui a três anos será possível implementar a inteligência artificial, permitindo que as provas digitalizadas possam ser lidas e, inclusive, avaliadas pela próprio sistema virtual.”
 

De acordo com Chaves, a ideia é que a startup se torne uma empresa especializada em qualquer tipo de teste, além de contribuir para a massificação dessas ferramentas de avaliação – como acontece em grandes vestibulares, como Enem e Fuvest. “A Pod pretende acompanhar a evolução dos processos. No futuro, nosso sonho é corrigir automaticamente provas subjetivas, como uma uma redação de filosofia, por exemplo”, diz ele, que desenvolve a startup ao lado dos amigos engenheiros Erik Miguel de Elias, Fábio Gusukuma e Diogo Dutra. 

Inteligência artificial

Um dos grandes desafios do grupo é colocar em prática esse método de correção discursiva que analisa texto e contexto. Segundo Chaves, essas ferramentas são necessárias “para o futuro flexível e evolutivo da educação”. “Daqui a três anos será possível implementar a inteligência artificial, permitindo que as provas digitalizadas possam ser lidas e, inclusive, avaliadas pela próprio sistema virtual”, diz Chaves, que há seis anos organiza o International Development Design Summit , ONG internacional focada no desenvolvimento de tecnologias sociais inovadoras por meio de processos criativos, criada pelo MIT.

“É o mesmo que já vem acontecendo atualmente com robôs, que conseguem identificar nas redes sociais o que estão falando na internet a respeito da marca de uma determinada empresa”, explica Chaves. No entanto, pondera ele: “a ferramenta deve servir como apoio para a automatição do trabalho dos professores, já que apenas os educadores podem avaliar outros aspectos como engajamento, trabalho em equipe”.

UFABC participa do Seminário Incluir do MEC

Estiveram em discussão o acesso e permanência de Pessoas com Deficiência no Ensino Superior
 


Nos dias 13, 14 e 15 de março, a Profª Lúcia Franco, Coordenadora da UAB da UFABC, o Prof. Joel Felipe, Pró-reitor da PROAP e as servidoras Fernanda Fígaro e Flávia Lima, respectivamente da PROAP e da PROGRAD, participaram do Seminário INCLUIR - ACESSIBILIDADE NA EDUCAÇÃO SUPERIOR no MEC, visitaram o programa destinado a atendimento de alunos com deficiência da UnB (o PPNE), e tiveram uma reunião com a Diretora da SECADI - Diretora de Políticas de Educação Especial do MEC, Profª Martinha Clarete Dutra.
 
O objetivo foi conhecer a política de acesso e permanência, os equipamentos, softwares e outras tecnologias assistivas de programas de inclusão de PcD - Pessoas com Deficiências no ensino superior para levantar as necessidades e providências futuras dentro da UFABC no sentido de quebrar as barreiras arquitetônicas e atitudinais para a inclusão das PcDs. Como destaque das atividades, os representantes da UFABC tiveram a oportunidade de aprofundar o tema da inclusão de cotas para PcDs na graduação na UFABC e uma agenda para sua implantação.

Docentes da UAB-UFABC publicam livros sobre EAD e Ciências

Os docentes vinculados ao Programa Universidade Aberta do Brasil da UFABC publicaram recentemente diversos títulos de temas ligados aos cursos da UAB e outros temas sobre Educação à Distância.

Os livros publicados são os seguintes:

Noções de Química - Paula Homem de Mello e Hugo Barbosa Suffredini
Introdução à Teoria dos Conjuntos - Marcio Fabiano da Silva e
Introdução à Relatividade e Física Quântica  - Ronei Miotto e Armano Corbani Ferraz
Ética para Principiantes - Luis Alberto Peluso
Os Desafios do EaD de C&T na formação continuada de professores - Vani Xavier de Oliveira e tutores do Curso de Especialização em C&T
Ensino Virtual de Química Experimental - Elizabete Lima
Cultura, Tecnologia, Redes e Espaços - Ana Keila M. Pinezi, Claudio Luis Penteado e Sérgio Amadeu da Silveira

 
  

Copyright © 2013 UAB | Universidade Aberta do Brasil | Universidade Federal do ABC | Todos os direitos reservados.